Rafael Araujo artista ilustrador da Venezuela, ele tem desenhado ilustrações da natureza, inteiramente à mão. ele exibe de maneira que adepta o brilho matemático da natureza em seus desenhos.  Tinha quinze anos quando observou os padrões complexos e inteligentes no trabalho da natureza e aprendeu sobre a sequência de Fibonacci, a série numérica misteriosa que aparece em muitos elementos da natureza.
 O trabalho de Rafael é uma verdadeira obra de arte, tanto no aspecto artístico, como científico, trazendo à tona diversos detalhes da natureza. Todas as ilustrações mostra com muitos detalhes as relações entre o mundo natural e
a matemática.


O que é a sequência de Fibonacci?

É uma sucessão de números que, misteriosamente, aparece em muitos fenômenos da natureza. Descrita no final do século 12 pelo italiano Leonardo Fibonacci, ela é infinita e começa com 0 e 1. Os números seguintes são sempre a soma dos dois números anteriores. Portanto, depois de 0 e 1, vêm 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21, 34…

Ao transformar esses números em quadrados e dispô-los de maneira geométrica, é possível traçar uma espiral perfeita, que também aparece em diversos organismos vivos.
Outra curiosidade é que os termos da sequência também estabelecem a chamada “proporção áurea”, muito usada na arte, na arquitetura e no design por ser considerada agradável aos olhos. Seu valor é de 1,618 e, quanto mais você avança na sequência de Fibonacci, mais a divisão entre um termo e seu antecessor se aproxima desse número.

Exemplos na natureza em que a sequência ou a espiral de Fibonacci aparece

CAMALEÃO  Contraído, seu rabo é uma das representações mais perfeitas da espiral de Fibonacci

CONCHA DO CARAMUJO  Cada novo pedacinho tem a dimensão da somados dois antecessores

ELEFANTE  Se suas presas de marfim crescessem sem parar, ao final do processo, adivinhe qual seria o formato?

GIRASSOL  Suas sementes preenchem o miolo dispostas em dois conjuntos de espirais: geralmente, 21 no sentido horário e 34 no anti-horário

PINHA  As sementes crescem e se organizam em duas espirais que lembram a de Fibonacci: oito irradiando no sentido horário e 13 no anti-horário

ARTES  Esse recurso matemático também foi uma das principais marcas do Renascimento. A Mona Lisa, de Leonardo da Vinci, usa a razão na relação entre tronco e cabeça e entre elementos do rosto

AS GRANDES PIRÂMIDES  Mais um mistério: cada bloco é 1,618 vezes maior que o bloco do nível imediatamente acima. Em algumas, as câmaras internas têm comprimento 1,618 vezes maior que sua largura








FONTES Roberto Jamal, professor do cursinho Anglo, Claudio Possani, professor do Instituto de Matemática e Estatística da USP, e livro Do Not Open, vários autores

Achou útil essa informação? Compartilhe com seus amigos!  Deixe-nos a sua opinião aqui nos comentários.