Mortal Kombat a evolução do game



Lançado oficialmente nos arcades, o game chegou sem muito barulho. O título contava com apenas sete personagens jogáveis e já chamava atenção pelo visual, que usava atores digitalizados para recriar os lutadores.
As batalhas violentas - marca registrada da série - também já davam as caras, com direito a combos intermináveis e os famosos fatalities, golpes especiais que podiam ser realizados no final de cada luta. Eles geralmente arrancavam partes dos corpos dos lutadores derrotados.
Primeiro game da série já trazia batalhas sangrentas e divertidas (Foto: Reprodução)Primeiro game da série já trazia batalhas sangrentas e divertidas (Foto: Reprodução)
Mortal Kombat 2 chegou repleto de novidades, com novos personagens, gráficos refinados, golpes exclusivos e a adição de novos tipos de finalizações, como os Babalities, que transformavam os adversários em bebês, e os Friendships, que trocavam os cruéis golpes por diversas brincadeiras.
O game também trazia novas arenas, que, além de mais bonitas, contavam com uma série de interações possíveis. Em The Pit, por exemplo, dá para empurrar o adversário para uma queda para a morte, enquanto, em Dead Pool, os oponentes podem ser atirados no ácido.
Mortal Kombat 2 adicionou novos lutadores e arenas (Foto: Reprodução)Mortal Kombat 2 adicionou novos lutadores e arenas (Foto: Reprodução)
Combate Mortal
Seguindo a evolução dos consoles e arcades, Mortal Kombat 3 chegou em 1995 e logo se tornou um dos games de luta favoritos dos fãs do gênero. Com ajustes consideráveis na jogabilidade, o título se tornou mais acessível e divertido, além de extremamente balanceado.
Outra novidade importante foi a introdução do botão de corrida, que permitia investidas furiosas em direção aos oponentes. Aliado às combinações corretas de botões, o novo comando podia resultar em combos muito fortes, capazes de detonar grande parte da vida dos adversários.
Mortal Kombat 3 refinou a fórmula de sucesso do game (Foto: Reprodução)Mortal Kombat 3 refinou a fórmula de sucesso do game (Foto: Reprodução)
Pouco tempo depois, o game receberia a atualização Ultimate Mortal Kombat 3, até hoje considerado um dos melhores títulos da franquia. O game sofreu uma série de ajustes e ganhou novos golpes e combos.
A principal adição de Ultimate foi a chegada de novos personagens, como Smoke, Kitana e Reptile, além de todo o elenco disponível em Mortal Kombat 3, resultando em uma respeitável lista de lutadores.
Ultimate encheu o game de personagens (Foto: Reprodução)Ultimate encheu o game de personagens (Foto: Reprodução)
Nova geração
Com a chegada de Nintendo 64 e PlayStation, Mortal Kombat estreou nos novos consoles com a bela edição especial Trilogy, que, na verdade, era uma versão modificada de MK3. O game inclui todos os personagens que já haviam aparecido nos jogos anteriores, com direito a golpes especiais e versões clássicas. Chefes como Goro, Kintaro e Shao Khan também podiam ser controlados sem o auxílio de cheats.
Trilogy homenageava os três primeiros lançamentos da série (Foto: Reprodução)Trilogy homenageava os três primeiros lançamentos da série (Foto: Reprodução)
Os jogadores ainda tiveram a chance de experimentar a primeira versão que fugia do gênero de luta. Mortal Kombat Mythologies: Sub-Zero é um game de ação onde era possível controlar o ninja de gelo por fases lineares, repletas de inimigos para se enfrentar.
Só em 1997 uma nova versão da série principal chegaria aos aparelhos: Mortal Kombat 4. O game logo chamou a atenção por adotar personagens modelados em três dimensões, com direito a cenários com profundidade.
Entre as principais novidades, estavam objetos que podiam ser atirados e armas exclusivas para cada um dos personagens do jogo, que podiam ser sacadas durante as batalhas.
MK4 foi o primeiro título tridimensional da série (Foto: Reprodução)MK4 foi o primeiro título tridimensional da série (Foto: Reprodução)
Além do novo visual, o jogo também introduziu sete novos personagens, como Reiko, Kai, Fujin e os populares Quan Chi e Shinok. Mais tarde o jogo o título foi relançado com o nome de Mortal Kombat Gold, exclusivamente para Dreamcast.
Mudança de rumos
Primeiro game para os então novíssimos PlayStation 2, Xbox e Game Cube, Mortal Kombat Deadly Alliance (2002) abusava do poder dos novos consoles para criar uma experiência mais convincente, realista e brutal.
Com nada menos do que dez novos personagens, o game também recebeu uma série de novos modos e conteúdo extra, que podia ser destravado com o avanço na campanha do jogo. Outra novidade era a possibilidade de se alterar o estilo de luta durante as partidas.
Deadly Alliance contava com belos gráficos e novidades (Foto: Reprodução)Deadly Alliance contava com belos gráficos e novidades (Foto: Reprodução)
Dois anos depois, em 2004, chegaria Mortal Kombat: Deception, o primeiro game da franquia a introduzir a função de multiplayer online, que se popularizava nos consoles.
Deception também ousou, com a adição de mecânicas como os combo breakers e a manutenção dos estilos variados de combate. O game também ganhou o interessante modo “Chess Kombat”, muito similar a um jogo tradicional de xadrez.
Com direito a modo online, Deception chegou em 2004 (Foto: Reprodução)Com direito a modo online, Deception chegou em 2004 (Foto: Reprodução)
O direcionamento da série começou a mudar com a chegada de Shaolin Monks, lançado em 2005 para PS2 e Xbox. O game abandonava o tradicional estilo de luta do game, partindo para o gênero de aventura, onde era possível explorar cenários enquanto se lutava com adversários.
Apesar de ter causado certa polêmica entre os fãs mais conservadores, o game trazia um charmoso modo multiplayer, onde era possível convidar um amigo para enfrentar os desafios da campanha de maneira cooperativa.
Shaolin Monks trocou as arenas por cenários abertos (Foto: Reprodução)Shaolin Monks trocou as arenas por cenários abertos (Foto: Reprodução)
O novo estilo se manteve até 2006, quando Mortal Kombat: Armageddon foi lançado. No estilo God of War, o jogo contava com um modo campanha com cenários abertos, multiplayer tradicional e diversos minigames, como corridas de kart.
Fim de uma era e recomeço
O último suspiro da franquia nas mãos da Midway veio com Mortal Kombat vs. DC Universe, que, como o nome sugere, misturava personagens da série de luta com os principais ícones da DC, como Batman, Super Homem e Mulher Maravilha.
Batalhas contra personagens da DC eram o principal atrativo do game (Foto: Reprodução)Batalhas contra personagens da DC eram o principal atrativo do game (Foto: Reprodução)
O jogo dividiu opiniões e foi criticado pela ausência de golpes mais violentos, removidos a pedido da DC, que não gostaria de ver Batman e seus amigos estraçalhados como os personagens da série.
Depois de um hiato de três anos, Mortal Kombat ressurgiu em um reboot desenvolvido pela NetherRealm Studios. Com o foco de voltar às origens, os produtores optaram por ideias mais tradicionais, mas sem abrir mão das novidades.
Além de ser o primeiro grande jogo da série a ser lançado para Xbox 360 e PS3, o game conta com belíssimos gráficos em 3D, mas opta por lutas limitadas a duas dimensões, assim como nos títulos clássicos.
MK9 fez sucesso na última geração (Foto: Reprodução)MK9 fez sucesso na última geração (Foto: Reprodução)
No total, são 27 personagens jogáveis, todos com seus próprios golpes, fatalities e novíssimos X-Ray Moves, golpes especiais que podem ser usados durante as lutas e contam com violentas animações em câmera lenta.
O game fez muito sucesso entre os velhos fãs e atraiu uma leva de novos admiradores. Agora é só esperar por Mortal Kombat X, que tem seu lançamento agendado para o meio de abril, com versões para Xbox One, Xbox 360, PlayStation 4, PlayStation 3 e PC.
Mortal Kombat X é o próximo título da série, e promete agradar os fãs da franquia (Foto: Reprodução)Mortal Kombat X é o próximo título da série, e promete agradar os fãs da franquia (Foto: Reprodução)

"Não me importo se roubares minhas ideias, pois sei que não as usarás tão bem quanto eu! "

type='text/javascript'/>