Farmacologia da tireoide Farmacologia Aplicada (Farmácia) - Arte no Papel Online
Aula Farmacologia Aplicada (Farmácia) Farmacologia Aplicada (Farmácia)
Farmacologia da tireoide Farmacologia Aplicada (Farmácia)

Farmacologia da tireoide Farmacologia Aplicada (Farmácia)

Aula Farmacologia Aplicada (Farmácia) Farmacologia Aplicada (Farmácia)

DESCRIÇÃO

Apresentação Farmacologia da tireoide

A glândula tireoide secreta pró-hormônio tiroxina (T4), que é convertido no fígado e em outros tecidos na forma ativa, e a triiodotironina (T3) auxiliam a controlar o ritmo do metabolismo e são essenciais para o desenvolvimento ideal, para o crescimento e para a manutenção da função de praticamente todos os tecidos do corpo, em especial, o sistema nervoso central. 


Serão abordadas as funções fisiológicas, os usos terapêuticos e os efeitos adversos dos hormônios tireoidianos, assim como o mecanismo de ação, os usos terapêuticos e os efeitos adversos dos fármacos antitireoidianos.


Objetivo de aprendizagem :

  • Listar os efeitos dos hormônios tireoidianos.
  • Descrever os usos terapêuticos e os efeitos adversos dos hormônios tireoidianos.
  • Explicar o mecanismo de ação, os usos terapêuticos e os efeitos adversos dos fármacos antitireoidianos

Infográfico


A glândula tireoide secreta dois tipos de hormônios: a tiroxina (T4) e a 3,5,3′-triiodotironina (T3). Esses hormônios são essenciais para o crescimento e o desenvolvimento normais e desempenham um importante papel no metabolismo energético. Uma diminuição nos níveis de hormônios tireoidianos acarreta o hipotireoidismo, uma condição clínica tratada com reposição dos hormônios; e o aumento causa hipertireoidismo, tratado com fármacos antitireoidianos que interferem na síntese e na liberação dos hormônios tireoidianos.

Acesse o Infográfico a seguir para conhecer as principais etapas da síntese, do armazenamento e da liberação dos hormônios tireoidianos, assim como os locais de ação de fármacos antitireoidianos



A glândula tireoide normal secreta quantidades suficientes dos hormônios tireoidianos, triiodotironina (T3) e tiroxina (T4, tetraiodotironina) para manter o crescimento e o desenvolvimento, a temperatura corporal e os níveis energéticos dentro de sua normalidade.

As doenças da glândula tireoide resultam de processos autoimunes que estimulam a produção excessiva dos hormônios da tireoide (tireotoxicose ou hipertireoidismo) ou causam destruição glandular e produção deficiente desses hormônios (hipotireoidismo).

Os usos terapêuticos, os efeitos adversos dos hormônios tireoidianos e o seu mecanismo de ação, assim como os usos terapêuticos e os efeitos adversos dos fármacos antitireoidianos.


Dica Farmacologia da tireoide


O controle geral do metabolismo, o crescimento e a reprodução são mediados por uma combinação de sistemas neurais e endócrinos, localizada no hipotálamo e na glândula pituitária. A glândula tireoide secreta a calcitonina, um importante hormônio peptídico no metabolismo do cálcio e na mineralização óssea, e os hormônios à base de iodo, tiroxina (T4) e triiodotironina (T3), que atuam sobre o crescimento, o desenvolvimento e o metabolismo. Vale ressaltar que o iodo, seja por meio da reposição, ou oriundo da alimentação e de suplementos, é necessário à síntese dos hormônios tireoidianos.

Na prática Farmacologia da tireoide


A maioria dos pacientes apresenta hipotireoidismo primário devido à falência da glândula tireoide, em consequência de tireoidite autoimune crônica (doença de Hashimoto). Também pode ocorrer hipotireoidismo iatrogênico após exposição a quantidades destrutivas de radiação, após tireoidectomia total ou com doses excessivas de tioamidas usadas no tratamento do hipertireoidismo. Outras causas de hipotireoidismo primário incluem deficiência de iodo, defeitos enzimáticos na tireoide, hipoplasia tireoidiana, ingestão de substâncias bociogênicas (ex. couve, brócolis, repolho) e uso de medicamentos, como, por exemplo, os antitireoidianos, a amiodarona, o lítio, os interferons, s talidomida e a rifampicina.

Veja, neste Na Prática, quais são as diretrizes para o tratamento do hipotireoidismo e importantes direcionamentos quanto à alimentação desses pacientes.




Desafio Farmacologia da tireoide

As doenças da glândula tireoide resultam de processos autoimunes, que estimulam a produção excessiva dos hormônios da tireoide ou causam destruição glandular e produção deficiente desses hormônios. 

O estudo de caso a seguir traz uma série de sintomas condizentes com um dos casos de disfunção hormonal apresentado acima



Baseando-se na descrição dos sinais, nos sintomas e nos achados laboratoriais:


  1. a) Você poderia descrever qual o possível diagnóstico da paciente?
  2. b) Quais medidas farmacológicas você recomendaria para esse caso clínico?
  3. c) Considerando o desejo da paciente de engravidar em breve, quais recomendações e orientações você repassaria a ela?
  4. d) Como você explicaria os possíveis danos ao bebê, diante do referido quadro clínico e sem tratamento adequado?

Exercícios

1. O hormônio da tireoide contém iodo, que precisa ser obtido pelo consumo nutricional e é essencial para o desenvolvimento normal, particularmente do SNC. O hipotireoidismo materno e neonatal, devido à deficiência de iodo, continua sendo a principal causa de retardo mental.

I. A triagem da população de recém-nascidos para hipotireoidismo congênito é realizada em todos os países desenvolvidos e, quando seguida da implementação imediata de terapia de reposição apropriada com hormônio tireoidiano, tem diminuído radicalmente a incidência de retardo mental e cretinismo.

II. A suplementação de hormônio tireoidiano durante o período de neurogênese ativa (até́ 6 meses após o parto) resulta em retardo mental irreversível (cretinismo) e é acompanhada de várias alterações morfológicas no encéfalo.

III. A deficiência de hormônio tireoidiano durante os primeiros meses de vida provoca problemas alimentares, atraso do crescimento, aumento da defecação e insônia. IV. O hipotireoidismo manifesto durante a gravidez está associado ao sofrimento fetal e a um comprometimento do desenvolvimento psiconeural da criança.

V. Durante a gravidez, a dose de levotiroxina na paciente com hipotireoidismo precisa ser aumentada devido à pequena quantidade de transferência transplacentária de levotiroxina da mãe para o feto.

Nesse contexto, assinale a alternativa correta.


A. 
As afirmativas I, II e IV estão corretas.


B. 
As afirmativas I, III e IV estão corretas.


C. 
As afirmativas I, IV e V estão corretas.


D. 
As afirmativas II, IV e V estão corretas.


E. 
As afirmativas III, IV e V estão corretas.


2. Dona Lourdes, professora de 47 anos de idade, apresenta-se no consultório devido à fadiga. Ela sente-se vagarosa há meses e, então, achava que estava anêmica. Há 20 dias começou a tomar, por conta própria, comprimidos de ferro, mas não está se sentindo melhor. Tem dormido bem e não se sente deprimida. Percebeu certo afinamento dos cabelos e sente como se sua pele estivesse seca. Toma um multivitamínico e suplemento férrico, mas não outros medicamentos. Ao exame, a pressão arterial e o pulso estão normais. Seu cabelo está fino, mas não há regiões focais de alopecia ou cicatrizes do couro cabeludo. Sua glândula tireoide é difusamente aumentada à palpação, é indolor e não tem nódulos. O restante de seu exame é normal. Os exames laboratoriais apresentam hemograma completo, glicose e eletrólitos normais. O nível do hormônio estimulante da tireoide (TSH) é elevado e o nível de T4 é reduzido. Você a diagnostica com hipotireoidismo. Qual dos seguintes tratamentos seria o mais adequado para essa condição?​​​​​​​


A. 
Infusão intravenosa de TSH.


B. 
Administração oral de levotiroxina.


C. 
Administração oral da propiltiouracila.


D. 
Ablação da tireoide com iodo radioativo.


E. 
Administração oral do propranolol. ​​​


3. Para o tratamento do hipotireoidismo, dispõe-se de preparações sintéticas dos sais sódicos dos isômeros naturais dos hormônios tireoidianos, que são amplamente utilizados na terapia de reposição com hormônios tireoidianos. Em geral, os efeitos adversos do hormônio tireoidiano só ocorrem em casos de tratamento excessivo e os efeitos são semelhantes às consequências do hipertireoidismo, caracterizando-se pelos seguintes sinais e sintomas:​​​​​​​


A. 
Pele seca, taquicardia, nervosismo, perda de peso e aumento de apetite.


B. 
Pele úmida, bradicardia, nervosismo, perda de peso e aumento de apetite.


C. 
Pele úmida, taquicardia, nervosismo, perda de peso e aumento de apetite​​​​​​​.


D. 
Pele úmida, taquicardia, nervosismo, perda de peso e diminuição de apetite.


E. 
Pele úmida, taquicardia, nervosismo, aumento de peso e aumento de apetite.


4. As tioamidas, metimazol, carbimazol e propiltiouracila são os principais fármacos utilizados para o tratamento da tireotoxicose (hipertireoidismo). Qual das alternativas abaixo descreve o mecanismo de ação da propiltiouracila? ​​​​​​​


A. 
Bloqueia a proteólise da tireoglobulina.


B. 
Inibe a captação de iodo pelas células tireoidianas.


C. 
Controla a liberação de TSH.


D. 
Bloqueia a iodinação e o acoplamento das tirosinas em tireoglobulina, para formar os hormônios tireoidianos.


E. 
Bloqueia a liberação do hormônio da glândula tireoide


5. Marilia, uma estudante de 24 anos, relata que, após desentendimento com o namorado, iniciou quadro de grande ansiedade e nervosismo. Refere ainda emagrecimento de 10 kg nos últimos 5 meses, assim como o sentir mais calor que o habitual, insônia, tremores, sudorese intensa, irritabilidade e palpitações constantes. Qual modalidade de tratamento, dentre as abaixo listadas, é indicada como primeira escolha para o referido quadro clínico?


A. 
Administração oral de propranolol.


B. 
Ablação da glândula tireoide com iodo radioativo.


C. 
Administração oral de iodeto de potássio.


D. 
Administração oral de metimazol.


E. 
Administração oral de levotiroxina.

0 AVALIAÇÕES:

Comentários

cookieIfy (2).txt Exibindo cookieIfy (2).txt…