Laxantes e antidiarreicos Farmacologia Aplicada (Farmácia) - Arte no Papel Online
Aula Farmacologia Aplicada (Farmácia) Farmacologia Aplicada (Farmácia)
Laxantes e antidiarreicos Farmacologia Aplicada (Farmácia)

Laxantes e antidiarreicos Farmacologia Aplicada (Farmácia)

Aula Farmacologia Aplicada (Farmácia) Farmacologia Aplicada (Farmácia)

DESCRIÇÃO

Vamos estudar os mecanismos de ação e efeitos adversos das diferentes classes de fármacos laxantes e antidiarreicos

O trato gastrointestinal normalmente apresenta-se em atividade absortiva, contrátil ou secretora. Lembre-se que o volume e a consistência das fezes é resultante da quantidade de líquidos, e a água representa em torno de 70 a 85% da massa fecal total. 


Condições que promovem a redução da motilidade e a remoção excessiva de líquidos tornam as fezes endurecidas e impactadas, levando à constipação. Por outro lado, um aumento da capacidade de absorção de líquidos pelo cólon desencadeia um quadro de diarreia. 


A constipação e a diarreia são patologias comuns e são responsáveis por um alto índice de mortalidade, morbidade, desconforto social, perda de produtividade no trabalho e custo com recursos médicos e medicamentos.


Objetivo de aprendizagem:

  • Identificar as classes de fármacos laxantes e antidiarreicos.
  • Explicar o mecanismo de ação, usos terapêuticos e efeitos adversos dos laxantes.
  • Descrever o mecanismo de ação, usos terapêuticos e efeitos adversos dos antidiarreicos

Infográfico


Pense em como a constipação e a diarreia são responsáveis por um alto índice de mortalidade e morbidade. Além disso, podem causar um grande desconforto social, perda de produtividade no trabalho e custo com recursos médicos e medicamentos.


Portanto, é muito importante que você compreenda as causas e o manejo da constipação e da diarreia, bem como o mecanismo de ação das diferentes classes de fármacos laxantes e antidiarreicos. E é examamente isso que você verá no infográfico a seguir. Confira:



Embora a constipação e a diarreia sejam patologias comuns, diante das inúmeras possibilidades de causas e da gravidade dessas patologias, é muito importante que você conheça os aspectos fisiopatológicos, bem como os princípios terapêuticos da diarreia e da constipação.


Os fármacos laxantes são comumente usados para tratar a constipação, uma queixa comum na prática clínica e, em geral, refere-se à defecação difícil, infrequente ou aparentemente incompleta e persistente, porém recomenda-se que, caso seja necessário o uso de laxantes, estes devem ser utilizados por um breve período, pois o uso crônico leva à dependência.


Na prática


A diarreia do viajante pode ser causada por várias bactérias, vírus ou parasitas. Entretanto, a bactéria Escherichia coli enterotoxigênica é a causa mais frequente, mas também pode ser causada pela Campylobacter jejuni, Shigella spp. e Salmonella spp.



Desafio


Os fármacos laxantes são comumente usados para tratar a constipação, uma queixa comum na prática clínica e em geral refere-se à defecação difícil, infrequente ou aparentemente incompleta, persistente. 

D. Joana, 53 anos, professora do ensino fundamental, compareceu à consulta médica com queixa de desconforto abdominal. Ela relata que há mais de 5 anos apresenta sensação de “peso” no abdome, que "está sempre inchado", e algumas vezes há uma piora dos sintomas, com surgimento de cólicas. Ela relata que evacua diariamente, mas as fezes estão sempre endurecidas, é necessário bastante esforço e ela tem a sensação de evacuação incompleta, porém nega a presença de sangue visível nas fezes. O exame físico revelou apenas fezes no cólon descendente. A paciente está usando verapamil para o tratamento de hipertensão arterial, o antipressivo amitriptilina e carbonato de cálcio para o controle da osteopenia.

Veja mais algumas informações sobre o caso:




Baseando-se no caso clínico, responda:

a) D. Joana relata que evacua diariamente. Pode-se relacionar o quadro clínico a um quadro de constipação intestinal? Explique.

b) O quadro de constipação intestinal poderia estar sendo provocado ou agravado pelos medicamentos que ela utiliza? Justifique a sua resposta.

c) É possível melhorar o hábito intestinal da paciente sem a prescrição de medicamentos? Cite algumas medidas não farmacológicas que se aplicam ao caso dela.

d) Considere que a paciente seguiu as recomendações não farmacológicas, porém não obteve resultados satisfatórios. Qual a primeira alternativa do tratamento farmacológico que você recomendaria a D. Joana?


Exercícios



1.  Sr. José e D. Margarida irão comemorar o 25° aniversário de casamento em uma viagem ao Peru, para visitar Machu Picchu. Devido às experiências em viagens no passado, eles pedem ao médico para prescrever um fármaco contra diarreia. Nesse caso, qual dos seguintes fármacos é indicado no tratamento da diarreia? ​​​​​​​


A. 
Linaclotida.


B. 
Loperamida.


C. 
Prucaloprida.


D. 
Lubiprostona.


E. 
Docusato sódico


2. Gislaine, arquiteta de 25 anos que está no sétimo mês de gravidez, encontra-se hospitalizada e em constante repouso no leito. Durante a visita do obstetra, ela relata constipação leve. Qual das seguintes medicações seria recomendável para tratar o quadro de constipação?​​​​​​​


A. 
Óleo de rícino.


B. 
Docusato sódico.


C. 
Óleo mineral.


D. 
Loperamida.


E. 
Lubiprostona


3. Os fármacos antidiarreicos podem ser usados com segurança em pacientes com diarreia aguda leve a moderada. Entretanto, não devem ser administrados a pacientes com diarreia sanguinolenta, febre alta ou toxicidade sistêmica, devido ao risco de agravamento do processo subjacente. Qual dos fármacos antidiarreicos abaixo promove escurecimento da língua e das fezes?​​​​​​​


A. 
Loperamida.


B. 
Difenoxilato.


C. 
Compostos de bismuto.


D. 
Racecadotrila.


E. 
Hidróxido de alumínio


4. Na maioria dos pacientes, medidas não farmacológicas mostram-se eficazes no tratamento de constipação intestinal leve. No entanto, quando não se obtém uma resposta satisfatória, torna-se necessária a indicação de um fármaco laxante. Em geral, recomenda-se o uso de fibras solúveis, como, por exemplo, Psyllium. Por qual mecanismo de ação agem tais agentes laxativos?​​​​​​​


A. 
Promovem a absorção da água, formando um gel emoliente e volumoso no intestino grosso, causando a distensão intestinal e aumentando, assim, a atividade peristáltica.


B. 
Reduzem a tensão superficial das fezes, facilitam a mistura das substâncias aquosas e gordurosas e amolecem as fezes.


C. 
Promovem a ativação local de canais de cloro em porção proximal do intestino, aumentando a secreção intestinal de fluidos e a motilidade intestinal.


D. 
Promovem a retenção de água por via osmótica, que resulta em estímulo da peristalse.


E. 
Promovem a estimulação direta do sistema nervoso entérico e a secreção colônica de eletrólitos e líquido


5. O fármaco antidiarreico racecadotrila é um agente antissecretor intestinal puro que demonstrou não ter qualquer efeito sobre a motilidade gastrintestinal.

I. É um agonista serotoninérgico altamente seletivo do receptor 5-HT4.
II. Não induz dependência nem efeitos estimulantes ou sedativos no SNC.
​​​​​​​III. Os efeitos adversos incluem náusea e vômito, constipação, vertigem e cefaleia e raros casos de reação alérgica, incluindo rash cutâneo, urticária e angioedema.

Assinale a afirmativa correta em relação à racecadotrila:


A. 
As afirmativas I, II e III estão corretas.


B. 
As afirmativas I e II estão corretas.


C. 
As afirmativas I e III estão corretas.


D. 
As afirmativas II e III estão corretas.


E. 
Somente a afirmativa I está correta

0 AVALIAÇÕES:

Comentários

cookieIfy (2).txt Exibindo cookieIfy (2).txt…