Bioenergética Bioquímica aplicada Farmácia - Arte no Papel Online
Aula Bioquímica Aplicada (Farmácia) Bioquímica Aplicada (Farmácia) PDF Bioquímica aplicada Farmácia
Bioenergética Bioquímica aplicada Farmácia

Bioenergética Bioquímica aplicada Farmácia

Aula Bioquímica Aplicada (Farmácia) Bioquímica Aplicada (Farmácia) PDF Bioquímica aplicada Farmácia

DESCRIÇÃO

METABOLISMO ENERGÉTICO

Metabolismo – conjunto de reações de Catabolismo e Anabolismo

  • -Reações de Catabolismo – degradação com produção de moléculas energéticas
  • -Reações de Anabolismo – síntese de moléculas com gasto de energia

O ser vivo alimenta-se para satisfazer duas necessidades básicas:

  • Obter substâncias que lhe são essenciais
  • Obter energia para a manutenção dos processos vitais.
Fornecer energia para o organismo



Produção de calor resulta dos processos de oxidação dentro da célula. 

  • ◊ Oxidação biológica – reações enzimáticas que geram calor e outras formas de energia.
  • ◊ Vantagem biológica da oxidação:

  • ► Transformação na energia contida nos alimentos em forma utilizável para o organismo (ATP)
  • ► Calor – benéfico para manutenção da temperatura corporal

MOLÉCULA DE ATP

  • Nucleotídeo rico em energia;
  • Energia armazenada nas 
ligações entre os fosfatos;

▪ Síntese de ATP: ADP + P + Energia ATP

Degradação do ATP:

▪ ATP ADP + P + Energia



COMBUSTÍVEIS ENERGÉTICOS

•Lipídios, Proteínas e Carboidratos Principal fonte de energia das células

  • Principal carboidratos: GLICOSE
  • Importância do controle da glicose sanguínea (70 – 99mg/dL)

  • Controle dos Níveis de Glicose Circulante:
  • Período Alimentado - Hiperglicemia:

  1.  Aumento na liberação de Insulina;
  2. Aumento do transporte de glicose para as células;
  3. Aumento da fosforilação da glicose;
  4. Aumento da glicólise;
  5. Aumento da glicogênese hepática e muscular;
  6. Aumento na conversão em triacilglicerol (Lipogênese);
  7. Glicosúria – se o limiar renal for ultrapassado(150mg/dL)

METABOLISMO DE CARBOIDRATOS

1. Aumento na liberação de insulina pelas células Beta pancreáticas;


  1. Aumento na liberação de insulina pelas células Beta pancreáticas;

INSULINA

  • √ Hormônio anabólico;
  • √ Hormônio hipoglicemiante;
  • √ Estimula a captação celular de glicose;
  • √ Aumenta a síntese e armazenamento de Triacilglicerol
  • (Lipogênese) e Glicogênio (Glicogênese);
  • √ Aumenta a síntese de proteína.




2. Aumento do transporte de glicose para as células;





3. Aumento da Fosforilação da glicose;

  • Produção de glicose-6-P;
  • Não se difunde através da membrana;


4. Aumento da Glicólise ou Reação de Oxidação da Glicose (Via Glicolítica)

- Utilização da glicose como fonte de energia.



5. Aumento da Glicogênese Hepática e Muscular;

- Síntese de glicogênio a partir da glicose para reserva energética.




6. Aumento da Conversão de Triacilglicerol (Lipogênese);



7. Aumento da Glicosúria


- Só ocorre se o limiar renal da Glicose for ultrapassado (150 mg/dL).



• Período de jejum - Hipoglicemia:

  1. Aumento na liberação de Glucagon;
  2. Aumento da glicogenólise hepática (mantém o jejum imediato – 4 a 6 horas após a ingestão);
  3. Aumento da gliconeogênese hepática (mantém o jejum noturno e prolongado);
  4. Aumento da cetogênese hepática.

Glucagon
  • √ Hormônio catabólico;
  • √ Produzido pelas células alfa do pâncreas;
  • √ Estimula a glicogenólise e gliconeogênese;
  • √ Ativa lipólise e proteólise

Aumento da glicogenólise hepática e muscular

- Degradação do glicogênio Função do Glicogênio Hepático:
- Fornecer glicose sanguínea no jejum imediato (4 a 6 horas de jejum);
- Reserva de glicose para as células em jejum imediato;
- Presença de Glicose-6-fosfatase

Função do Glicogênio Muscular:
- Fornecer glicose para produção de energia no músculo;
- Ausência da glicose-6-fosfatase


Glicogenólise Hepática e Muscular

Aumento da Gliconeogênese Hepática e Renal

- Síntese de glicose a partir de compostos diferentes de carboidratos: aa, glicerol, ácidos láctico e pirúvico.
- Mantém o jejum noturno e prolongado.
- Ocorre no fígado e rins.



Gliconeogênese



Aumento da Cetogênese Hepática

  • Síntese de corpos cetônicos (acetona, acetoacetato e ẞhidroxibutirato) para suprir as necessidades energéticas das células, principalmente encéfalo.
  • Produzidos no fígado a partir dos ácidos graxos provenientes do tecido adiposo.
  • Cetose e cetoacidose

Cetogênese Hepática



INDICAÇÃO DE VÍDEOS:




Resumo da utilização dos combustíveis energéticos durante o período de jejum



Resumo da utilização dos combustíveis energéticos durante o período de jejum




RELAÇÃO INSULINA/GLUCAGON




0 AVALIAÇÕES:

Comentários

cookieIfy (2).txt Exibindo cookieIfy (2).txt…